Diego Sabado

20180322_000233

Pequena Fábula

“Ah”, disse o rato, “o mundo torna-se a cada dia mais estreito. A princípio era tão vasto que me dava medo, eu continuava correndo e me sentia feliz com o fato de que finalmente via à distância, à direita e à esquerda, as paredes, mas essas longas paredes convergem tão depressa uma para a outra que já estou no último quarto e lá no canto fica a ratoeira para a qual eu corro”. -“Você só precisa mudar de direção”, disse o gato, e devorou-o.”

Franz kafka

A fábula, que é  uma parábola, traduz muito bem sua trajetória. Eu a escolhi pela moral que o autor deu ao dizer que  ” a última  saída  do saber leva à ruína”.

O medo do mundo impulsiona o rato,  que acaba num caminho sem saída: entre a violência  do gato ou da ratoeira. Onde, mudar de direção,  significa deixar de fazer algo pra seguir os conselhos de alguém.

A trajetória do Diego no BBB se iniciou com uma aliança dos 7. Primeiro, com Ana  Paula e Patrícia. Havia uma rejeição  à  Ana Paula pela casa e ao Mahmoud pelo público. A escolha foi certa. A truculência da Mara e do Mahmoud deu sobrevida à  Ana Paula com eliminação  da primeira. A aliança  dos 7 protegeu a Jéssica  e projetou Mahmoud pro paredão  da segunda semana.

Lucas é  líder e indica a Gleici. Planta na época. Mahmoud é  vitimizando pela hostilidade da casa, especialmente do Caruso. Ana Paula e Patrícia  começam  a exagerar no humor negro e na maledicência. Jaqueline cava a eliminação  pretensamente chutando um cachorro morto, porém  redimido pela hostilidade da casa e pelo publico.

Terceiro paredão, Diego lider indica a Paula. Ana Paula acaba exagerando  na prova da comida e recebe SETE votos no paredão  que eliminaria a Família Lima, indicada pelo Lucas, no Big Fone . Com SEIS votos, e muita sorte, Mahmoud escapa do paredão e  a Ana Paula é  eliminada.

Quarta Semana, a sensacional Ana Clara resolve colocar o voto da casa no paredão. Indica Nayara estupidamente pra ir com a Gleici e Mahmoud, aqui estrategicamente pensado pelos sete, pro caso de ter paredão  triplo ou eventual desempate. O voto burro da Ana mete dois amigos no paredão . Lider que só  lê que deve  indicar quem sai, não  é  capaz de firmar aliança.

Quinta Semana, Familia  de novo. Indicam Diego. Nada a ser feito. Não se combina voto. Patricia vai na Gleici e Diego vai na Paula. A sensacional  Ana Clara pede desculpas ao Diego. Tão  surpresa quanto foi a indicação  do Lucas, direto pelo Kaysar,  foi o noivo ser eliminado porque a familia brasileira não  perdoa traição . Sorte do Diego.

Sexto paredão, TUDO CONTRA. Votação  aberta. Genial estratégia  do triplo empate de três.  Mahmoud desenhou pra casa o voto no Wagner. As geniais Paula e Gleici na vingancinha votam em Diego com a Patrícia lider. A sensacional Ana Clara vota no Diego. Kaysar e Jessica iriam no Wagner, mas vão  na Gleici pra proteger o Diego. Daí: Paula x Gleici x Mahmoud. Mahmoud sai, Gleici  vai pro quarto, ganha imunidade e tem voto e indicação  direta.

Aí, foi o golpe baixo. Musiquinha de novela. Encenação  de quinta. Patricia vai direto. Caruso pela Paula e Jessica. Diego pela casa. Graças ao inutil do Breno e do traíra do Wagner. E Caruso e Viegas burramente votam na Jéssica. Patricia sai. Mas Gleici toma  de Diego a placa virtual de soberba e hipocrisia com Ana Clara e Wagner a de covarde.

A Gleici vingadora e Ana Clara sensível  já  vão  no Diego. Pra variar. Só  que agora, Ana Clara não  vai pedir desculpas pela terceira vez. Caruso anjo. Diego recusa proposta de receber anjo porque senão  Caruso  vai pro paredão. Atende o Big fone e põe  a Gleici no paredão . Não  foi covarde. Tem ética aí.

Se você  faz uma aliança de  proteção, você escolhe  entre adiar a ratoeira e mudar de direção,  ouvindo o gato gritar Gleici no paredão  anterior. Chamou de soberba e hipócrita, demonstrou,  quando a humilde Ana Clara, que indica pro paredão  e pede desculpas à  Jessica, colhe o obrigado constrangido  e sem sentido do cara que chamou  o próprio  pai  dela de cuzão. Não  vota na Gleici  escapa, vota na Gleici, pede -se desculpas, mas toma uma senhora lição  de moral ao vivo da Jéssica. As duas.

As pessoas são  um livro aberto. Só  saber ler. Diego foi tão  subestimado e tão  original que fez o que se propôs  a fazer: protegeu, não  foi covarde, escancarou a hipocrisia e a soberba das rainhas Gleici e Ana Clara, como deixou pra  Jéssica  fazer isso.

Diego nos deixou com 81%. Me fez trazer de volta  a parábola  do Kafka ironicamente chamada de fábula, por não ter  moral. Com o mesmo humor  negro não  entendido por uma população, onde,  segundo o JN, 23% sabe ler bula de remédio, se você  considerar texto  científico, e  8% sabe diferenciar ironia de opinião.

Estamos melhorando. 81% é  melhor que 92%.

Diego saiu digno, limpo, não  foi bem interpretado, mas preferiu a ratoeira. Fez história  por isso.

PARABÉNS, Diego! Não  seguir a manada  é  um dom. Deixem os recalcados Mahmoud e Mara falarem de representavidade da liberdade objetiva  e siga a individualidade de quem preferiu a ratoeira sozinho e não  ouviu o gato, como eles fizeram ao sair. Saiu gigante.

 

 

 

 

Advertisements

One thought on “Diego Sabado

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s